segunda-feira, 2 de agosto de 2010

5/08 Palestra GRATUITA: Desmistificando a Bolsa de Valores

Beto 70


Beto 70 estreia hoje sua primeira exposição de arte. Motoqueiro, mecânico e tatuador, Beto desenha desde sempre e há algum tempo decidiu transpor os traços para telas. Com nanquim sobre papel, técnica que se destaca na mostra, cria linhas finas, rebuscadas e precisas que refletem um universo particular, que, como ele mesmo define, trazem as frases do trompete de Chet Baker, o deboche de Mario Quintana, o lirismo de Drummond.

Beto também assina quadros nos quais estreita os laços entre suas outras paixões, como a mecânica, pintado com tinta automotiva, e a tatuagem, recriando, de um jeito particular e repleto de lirismo, algumas imagens icônicas, como caveiras. A exposição Traços (in) Certos estará em cartaz até outubro, de segunda a sábado, das 19h30min às 23h, no espaço de arte do Hashi Art Cuisine (Des. Augusto Loureiro Lima, 151, em Porto Alegre), do premiado chef Carlos Kristensen.

Exposição Desenhar no Espaço - Fundação Iberê Camargo


Rara coleção de abstracionistas brasileiros e venezuelanos da Fundação Cisneros em exposição na Fundação Iberê Camargo

Dez grandes nomes da arte abstrata na América Latina estarão reunidos na exposição Desenhar no Espaço, trazendo ao país, de 30 de julho a 31 de outubro, 88 obras que integram o acervo de uma das mais importantes coleções de arte contemporânea da América do Sul, a Coleção Patricia Phelps de Cisneros. Mostra, com curadoria do venezuelano Ariel Jiménez, propõe um diálogo entre o percurso abstracionista no Brasil e na Venezuela da década de 40 até meados dos anos 70.

A partir do acervo de uma das maiores coleções de arte contemporânea da América Latina, a Coleção Patricia Phelps de Cisneros, chega ao Brasil a exposição Desenhar no Espaço, que reúne na Fundação Iberê Camargo 88 obras de dez nomes exponenciais do abstracionismo no Brasil e na Venezuela - os artistas venezuelanos Gego, Alejandro Otero, Jesus Soto, Carlos Cruz-Diez; e os brasileiros Hércules Barsotti, Willys de Castro, Lygia Clark, Mira Schendel, Hélio Oiticica e Judith Lauand. Sob a curadoria do venezuelano Ariel Jiménez, a mostra vai além do diálogo sobre o percurso da arte abstrata nos dois países, traçando um panorama da formação dos movimentos de vanguarda e de uma era pós-moderna na arte sul-americana, através das obras destes grandes nomes. Desenhar no Espaço fica em cartaz de 30 de julho a 31 de outubro, no segundo e terceiro andar expositivo da Fundação. Após a temporada de estreia no Rio Grande do Sul, a mostra segue para a Pinacoteca de São Paulo.

Serviço

O quê: Desenhar no Espaço – artistas abstratos do Brasil e da Venezuela na Coleção Patricia Phelps de Cisneros

Artistas venezuelanos: Gego (15 obras), Alejandro Otero (8 obras), Jesus Soto (9 obras), Carlos Cruz-Diez (4 obras).

Artistas brasileiros: Willys de Castro (12 obras), Lygia Clark (11 obras), Mira Schendel (15 obras), Hélio Oiticica( 9 obras), Hércules Barsotti (3 obras) e Judith Lauand (2 obras).

Curadoria: Ariel Jiménez

Abertura: 29 de julho, às 19h

Quando: de 30 de julho a 31 de outubro. De terça a domingo,das 12h às 19h. Quintas-feiras,das 12h às 21h.

Onde: Fundação Iberê Camargo , Avenida Padre Cacique, 2000. Telefone: 32478000

Entrada Franca. As empresas Gerdau, Itaú, Camargo Corrêa, Vonpar, De Lage Landen garantem a gratuidade do ingresso.

Por Liza Block. " To Bem Assim??? !!! "


Calça branca

Recebi um pedido para falar sobre calça branca: como usar, combinações e ocasiões, então é sobre ela a coluna dessa semana ... Infelizmente a solicitação chegou anônima, mas espero que ajude!

A calça branca é quase um clássico de verão, uma boa alternativa para quem não está querendo colocar as pernocas de fora ou a ocasião/ ambiente não combinam com o estilo mais à vontade.

É um hit super chic da temporada de altas temperaturas e imprimi um ar de leveza, sofisticação e elegância. O terninho branco esteve presente em vários desfiles internacionais, como Lanvin, Celine e Calvin Klein.

Os modelos de alfaiataria, com a boca levemente mais aberta e a cintura no lugar são mais clássicas e por isso mais fácil de acertar, já que clássicos são sempre garantia de acerto. Camisas mais ajustas (ajustadas e não coladas e estourando os botões) são companhias perfeitas.

Os modelos pantalona com a boca bem aberta são mais modernas e muito chic, mas limitam, pois podem achatar a silhueta (altas e magras sempre têm vantagem!) mas ficam lindas com batas, camisas, regatas e até usadas com biquíni no final de tarde na piscina, praia, barcos.

Jeans skinny também são tendência em branco e podem ser estilizadas com rasgos leves nos joelhos para imprimir personalidade. Camisas xadrezes e t- shirts fazem o complemento.

E engana- se quem pensa que o look inteiro branco é exclusivo para os profissionais da área de saúde, a calça branca combinada com tops na mesma cor neutra, é lindo e very clean. Se preferir, faça contraste com acessórios coloridos ou pesados como cintos, bolsas e sandálias marrons e caramelos.

E claro que corpinho em dia é primordial, já que o branco aumenta, e muito!

Quer participar? Envie dúvidas, críticas e sugestões para o e-mail sta.madalena@yahoo.com.br. Farei o possível e impossível para ajudar!

Bjs, Liza Block

Week De La Musique / Semana de encerramento de temporada OUT/INV

FABIANO GOMES

ACESSEM O NOVO PORTAL DO RIVERSIDES

Gastronomia



GASTRONOMIA INDIANA SEMPRE NO RESTAURANTE INDIANO SHARIM